segunda-feira, 14 de setembro de 2009

por detrás de um muro de estórias
nasce uma palavra de medo e de espanto
surge uma pequena luz do nada
que morre sufocada pela vontade do tudo.
Sai do peito o grito,
dos lábios a saudade,
das mãos o gesto
e a lembrança distante de um abraço perfeito.

3 comentários:

TeKanelas disse...

Mangnífico, tudo a imagem e o poema.

paulo f disse...

No quarto vazio do hotel...
;)

Sandra Silva disse...

linda :)

Jocas Grandes